quarta-feira, 21 de novembro de 2007

As coisas são como são

Depois de alguns dias parece que as coisas continuam como antes.
Achei que com minhas férias tudo mudaria, pois afinal, devia ser o cansaço. Mas não, não foi o que aconteceu.
Na verdade, já vejo o que sinto com outros olhos. Hoje admito que tem alguma coisa errada comigo. E isso é muito importante, afinal, pelo menos admito que preciso entender melhor o que se passa. Analisar por que nem tudo é como antes.
Falta ânimo, empolgação. Falta emoção, envolvimento, falta aquela pegada, sabe?
No início era assim. Tudo era novidade, e eu tinha todo o gás. Queria ser a melhor, fazer o melhor possível. Mas hoje, apenas 'fazer' já é o suficiente, o importante.
Sair às 12h. Pegar dois ônibus. Chegar, bater o ponto. Produzir algumas pautas. Dar algumas idéias. 19h. Ufá! Bater o ponto. Sair correndo e pegar mais dois ônibus e pronto. Chegar em casa.
É, as coisas não são como pareciam. Esse ano foi agitado. Aprendi muito, é verdade. Mas me desiludi de muitas coisas e me decepcionei demais com várias pessoas. Sim, faz parte, eu sei. Devia ter ouvido melhor meus professores...
Mas, as coisas são como são.
Hoje estou assim, conformada.
Mas por pouco tempo.
As férias também serviram para colocar algumas coisas no lugar. Criar outras expectativas. Ter novos sonhos. Novas ambições.
Quero subir outros degraus. Ter prazer fazendo o que gosto. E é claro, sendo bem remunerada por isso. Com dinheiro, é claro, mas como vontade de fazer cada dia melhor.

4 comentários:

Kari disse...

Ô Kata,
É tão ruim quando a gente se vê conformada com as coisas, né?
Eu tô numa fase não muito conformada, quero tudo diferente, quero correr atrás do que eu sempre quis, mas fico sempre me perguntando: será que vale mesmo a pena?

Beijos,
Kari

Uma Sobrevivente disse...

Oie Katarine...

Obrigada pela visita!!! Infelizmente tive que arquivar temporiamente o meu blog, e não posso mais assinar o meu nome e sobrenome, para que a destruição não me alcance...

Querida, não deixe o desanimo invadir a sua vida, porque ele também destrui e a fará improdutiva...

Apareça sempre e não me abandone, tá!!!

Bjs

JR

Ju disse...

putz, parece que tô lendo um post meu... eu passei por isso e sei bem como é...
não se conforme não que tudo passa
=)

Reticências disse...

Saudações,

Engraçado é que (não sei se aconteceu com vc) qdo perguntaram lá no comecinho da faculdade porque o jornalismo, certemente alguém respondeu: "porque não há rotina".

O mínimo de distanciamento nos faz analisar as coisas de maneira surpreendente. E traz consigo algumas perguntas.

E agora, o que fazer?

Bjo